Categorias

sexta-feira, 30 de março de 2012

Eu Conheço Esta Voz

Em novembro de 2009 publiquei um post aqui sobre dubladores, a poucos dias encontrei um material novo no youtube muito bacana, produzido pela HBO ano passado, o canal fez este especial para comemorar 1 ano de programação somente com filmes dublados na HBO2, vale a pena, é fantástico, se você ainda não viu o outro, veja este primeiro e dpois abaixo da segunda parte do vídeo vou disponibilizar um link que vai direcionar você para o primeiro post sobre o assunto publicado aqui no SSFV...

Eu prefiro assistir filmes legendados para poder curtir o som original, mas quando a dublagem é boa, não ligo de assistir dublado, e o Brasil tem excelentes dubladores

Clique aqui para conferir o primeiro post sobre o assunto publicado em 2009

quinta-feira, 8 de março de 2012

8 de Março. Dia Internacional da Mulher


No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.
Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Hoje, um dia após sepultar minha avó, abro o blog para de alguma forma encontrar força no intuito de prestar aqui uma homenagem as mulheres no seu dia e sei que quem acessa o blog vai me entender pois não há outra forma para eu fazer isso sem ser falando um pouco mais da minha avó. A dona Nair muito provavelmente nunca soube como foi que o dia 8 de março se tornou o Dia Internacional da Mulher, minha avó nunca aprendeu a ler, e isso não a impediu de ser uma pessoa educada e muitas vezes culta, pois a cultura não vem só do ler, vem muito mais do aprender, conhecer e se muitos se consideram cultos por ter na memória trechos de vários livros que leram, citações de grandes autores, minha avó sabia citar versículos bíblicos sem nunca ter lido a bíblia, eu que tenho condições de ler a bíblia sei que tenho muito menos conhecimento e entendimento do livro sagrado do que minha avó sempre teve, ela sempre sabia citar um versículo certo na hora certa, minha avó foi uma mulher sábia e em sua sabedoria estava sua fé, e a bíblia diz que a mulher sábia edifica o lar, tenho certeza de que quem a conheceu e frequentou sua casa não tem nenhuma dúvida de que ela com toda sua limitação, fez isso com maestria. Na hora do almoço ontem peguei o carro para ir buscar minha outra avó, que é mãe da minha mãe, viúva do meu querido avô Antonio Nora Ribeiro, no caminho até a igreja, enquanto conversava com a vó Aparecida, fiquei pensando no quanto as minhas duas avós são importantes na formação de cada um de seus filhos e netos, cada um tomou o rumo que quis, cada filho ou neto fez da vida o que escolheu, mas nenhum desses nunca vai esquecer o quanto essas mulheres foram bons exemplos de mulher esposa, mulher trabalhadora, mulher fiel, mulher edificadora do lar, companheira, sábia,  mãe amorosa e avó cuidadosa, zelosa de todos os seus. Penso que algumas vezes meu avô Isidoro depois de tomar uma decisão que o levou ao arrependimento pode ter imediatamente se lembrado de que a Nair tinha dito a ele que aquilo não daria certo, o vô Toninho também passou por isso com certeza, eu já passei por isso e sei que existe na mulher algo que chamam de sexto sentido mas que eu gosto de pensar que é bem mais que isso. Quando um homem projeta algo, ele vislumbra sempre um futuro brilhante para aquele seu projeto, um homem projeta seu sonho sem nunca imaginar o que vem depois das montanhas, a mulher olha lá adiante e sua visão sempre mais apurada consegue ir além da ideia de um futuro majestoso, é por isso que existe a famosa frase que diz que: "Por trás de todo grande homem sempre existe uma grande mulher" PARABÉNS MULHERES....
Nesta foto, bem ao centro, está minha querida avó Nair (In-Memoriam) imediatamente  a direta dela está minha avó materna, Aparecida Correia Ribeiro, a imagem mostra mulheres de fibra que sempre se entregaram ao trabalho de cozinheiras na Igreja Assembléia de Deus.

terça-feira, 6 de março de 2012

Nair Bueno da Fonseca - 18/06/1926 -> 06/03/2012

Eu quando nasci, fui o segundo neto da minha avó paterna, no ano que eu nasci, meus pais moravam aqui na vila Operária, ali na rua Travessa Botafogo, no mesmo quintal que meus avós maternos, em 1978 nós acabamos nos mudando para o Sarandi, então passamos a morar no mesmo quintal que meus avós paternos, ali na rua Princesa Isabel na altura do posto Querência, ali eu vivi boa parte da minha melhor infância, cresci vendo minha avó cuidar das criações de galinha, fazer bolo de casamento ou de aniversário para amigos e parentes, comi muita carne de frango caipira preparado pela minha avó, o doce de leite que minha avó fazia era o melhor que eu já comi, e ela sabia que eu preferia em pasta, então ela sempre deixava dos dois jeitos, pedaços e também o doce sem endurecer, a convivência com a vó Nair, sempre foi um presente, no finalzinho da década de 80 quando eu e minha família morávamos no jardim Panorama ainda no Sarandi, durante um curto período eu morei la na casa da minha avó, ajudava meu avô numa construção que estava em andamento e algumas reformas que eles resolveram fazer por lá, nestes dias, engordei alguns quilos e quando comentei com a minha avó que ela estava me fazendo engordar, me lembro que ela disse pra eu me olhar no espelho, pois segundo ela eu estava com a pele mais bonita e muito longe de ficar gordo, acontece que como eu acordava cedo todos os dias, trabalhava bastante com o meu avô, eu estava comendo ainda mais, eu sempre comi muito bem, sempre fui bom de prato, e naqueles dias minha avó me ensinou que meu prazer de comer bem estava com certeza ligado ao fato de que naqueles dias eu estava trabalhando muito, eu tinha uns 12 anos, e por alguns dias pude conviver de perto com a minha avó e observar o zelo com que ela cuidava de todos que dependiam do trabalho dela dentro de casa, ela servia meu avô no café da manhã, sempre deixava tudo pronto para nós tomarmos o café da manhã todos juntos, então minha tia saia para o trabalho dela no Hosp. Santa Rita e eu me juntava ao meu avô Isidoro e meu tio Isaque para juntos continuarmos a trabalhar na casa da frente que no final, nunca ficou pronta. Nesta construção da qual eu estou falando minha avó tinha preparado um galinheiro, também tinha uma pequena horta e umas tranqueiras que ali ficavam guardadas, limpar o quintal enorme e até dentro da casa da frente era uma tarefa que sempre que minha avó fazia sobrava para nós, eu no calor, sempre gostava de ficar por perto, não sei se eu atrapalhava, na verdade sei que não, mas eu sempre gostei tomar banho de mangueira, e naquele quintal enorme onde eu cresci brincando com cachorro, empurrando carrinhos e algumas vezes de esconde-esconde com meus irmãos e meus primos foi de onde eu tirei as melhores memórias da minha avó que amou profunda e sinceramente a todos com quem conviveu, viveu intensamente sua fé e amor a Deus e nos deixou um exemplo de fé, amor e dedicação passional ao meu avô Isidoro. Descanse em paz querida vó, por aqui, todos sentiremos muito sua falta, mas sua ausência será suplantada pelas várias ótimas lembranças que cada pessoa que teve o privilégio de conhecê-la tem guardada...